5 motivos para dar um mínimo de crédito ao reboot do Universo DC

Sou antes de tudo um cético, ainda mais quando se trata de uma decisão editorial que busca, principalmente, o lucro. Recomeçar o universo de heróis da DC Comics do zero (ou nem tanto, como andam dizendo os editores) é uma dessas decisões. Não existe nada do ponto de vista narrativo ou artístico que justifique ter que recomeçar para se contar boas histórias, tanto que três dos melhores quadrinhos produzidos pela DC não se encaixam na tão dita “cronologia”, são eles Batman O Cavaleiro das Trevas, O Reino do Amanhã e All-Star Superman. Mas por outro lado é importante que novos leitores continuem chegando para que os quadrinhos possam se tornar uma indústria cada vez mais saudável e, assim, gerar bons frutos como as histórias citadas acima. Vamos então deixar a nerdice de lado e tentar enxergar o lado bom de toda essa revolução.

1 – Bota essa cueca pra dentro da calça rapaz!

Pra quem cresceu com um ícone é difícil aceitar qualquer mudança drástica, mesmo que seja naquilo que há de mais ridículo na tal figura. Uma das coisas mais faladas nesse recomeço do UDC são os redesigns dos personagens. Alguns sofreram mais mudanças, outros menos, mas o principal afetado, sem sombra de dúvida, foi o maior herói da casa: Superman. Com uma roupa toda azul, sem a famigerada cueca por cima da calça, o novo uniforme do herói foi motivo de controvérsia, afinal depois do S no peito e da capa vermelha é isso que faz o personagem ser identificado logo de cara. Mas será que isso que consideramos o “cânone” sofreu assim tão poucas mudanças de 1938 pra cá? Claro que não, é só olhar o logo do personagem original e quantas alterações já sofreu. Foi um escudo amarelo com S dentro, ficou preto, invertido, maior, menor e isso com ícone principal do personagem, sua marca registrada. Porque não tirar a cueca de cima da calça?

Para mim, mais do que uma simples alteração, isso mostra que o personagem está sendo preparado para uma nova geração, e isso não é necessariamente ruim. Da era de ouro para a de prata muitos heróis mudaram, não só de roupa mais inclusive de identidade secreta. Lanterna Verde deixou de ser Alan Scott para nascer Hal Jordan, Joel Ciclone para entrar o Flash Barry Alen. Mas, na época não existia internet para que as pessoas criassem essa mobilização instantânea contra mudanças que ainda nem viram, nem tampouco os personagens haviam sido alçados a categoria de semi-deuses intocáveis. No fim as alterações do passado fizeram outra mitologia totalmente nova nascer, porque duvidar que o mesmo pode ocorrer agora?

2 – Minha coleção tem muitos números 1

Aqui no Brasil devido a diversas mudanças de editora e renumerações temos muitos “números 1”, eu mesmo tenho vários na coleção. Porém, nos EUA é muito incomum alguém conseguir comprar uma edição número 1, por lá as revistas mais populares chegam facilmente a 500 ou 600 edições consecutivas, então zerar a numeração dos 52 títulos da editora é uma estratégia interessante para atrair novos leitores, que comprarão uma edição “histórica” e, se cativados, permanecerão como leitores frequentes. Ou não…tudo depende da qualidade do que será apresentado.

3 – Antes meus quadrinhos ficavam na estante, agora estão no HD.

Sabe o que é preciso, acima de tudo, para colecionar quadrinhos? Espaço. Muito espaço. Tenho boa parte dos m² da minha casa comprometidos para abrigar os quadrinhos que compro há mais de 20 anos, mas um novo tempo está chegando. Há muito já se fala de uma revolução digital que chegaria para exterminar os livros e revistas impressas, pois a Apple e seu iPad finalmente estão fazendo a tal revolução. Claro que edições impressas ainda continuarão sendo populares, mas o gadget da Aplle acelerou um processo que já tinha sido iniciado com outros e-readers, como o Kindle da Amazon. Agora ficou muito mais amigável e fácil ler uma hq digital. Sem adaptações, sem formatos mirabolantes. Apenas páginas que se sucedem, sendo foleadas digitalmente. Tão simples e tão moderno.

A DC, pelo menos em algum aspecto, saiu na frente das concorrentes nesse aspecto. A partir de setembro todas as 52 edições mensais serão vendidas simultaneamente em suas versões impressas e digitais. Donos de comic shops estão sendo incentivados a criar seções dentro de seus websites para que possam vender as revistas eletrônicas, e espaços digitais em suas lojas físicas. Isso vem para legitimar um processo que muitos leitores já faziam de forma ilegal: baixar os quadrinhos mensais e comprar apenas as coletâneas impressas daquilo que mais gosta.

4 – Já não temos um bom exemplo? Ok, e alguns muito ruins também.

Se não foram exatamente reebots, a Marvel também já tentou muitas vezes dar um novo caminho para seus heróis. Na década de 80 foi criado o Novo Universo, com heróis completamente novos em um mundo que deveria ser mais realista. Personagens como Jvstice, Estigma e o Psi-Force não duraram nem meia década. Nos anos seguintes eles criaram o Universo 2099, que trazia versões futuristas de seus personagens, também não deu certo. Alguns anos depois foi a vez de Jim Lee e Rob Liefeld, de volta depois de fundar a Image Comics tentarem a sorte com Heróis Renascem. O resultado? Fracasso total.

Mas então veio a linha Ultimate e tudo mudou. Talvez por resultado de todas as experiências frustradas, a Marvel acertou a mão ao criar um universo mais realista, mas sem jogar fora tudo o que os personagens vivem no universo tradicional e sem abrir mão de conceitos vencedores de seus principais heróis. A linha Ultimate se tornou uma porta de entrada para novos leitores e é responsável por sagas incríveis, como a de Ultimates, que inclusive servirá de base para o filme dos Vingadores. Se a Marvel hoje faz sucesso também nos cinemas muito é responsabilidade de conceitos criados para a linha Ultimate. Se a DC seguir a trilha, pode sim dar certo.

5 – Tudo novo, de novo

Falando em filmes da Marvel: não é interessante quando você vai ao cinema assistir uma história que já sabe como começa e como acaba? A graça está em ver como aquilo será adaptado para este novo momento. É dessa forma que tentarei encarar a empreitada da DC: uma nova visão, que pode ou não ser melhor do que aquilo que já li. O que não pode acontecer é ficarmos tendo sempre as mesmas histórias contadas várias vezes. Personagem X morre, volta e derrota o inimigo. Se novas tramas serão possíveis com uma mudança de enfoque, que seja. As boas histórias podem ser apagadas de uma cronologia editorial mas não de sua memória. Elas continuarão lá. E outras tantas boas virão, com ou sem reboot. Tente esquecer que Jim Lee já fez muita besteira por aí e que Rob Liefeld está de volta, por mais difícil que isso seja…

Compartilhe
Comente
  • Betinho

    O fato da tal “CUECA” do SUPERMAN foi valoriado demais, afinal quase 90% dos superherois começão com um uniforme com a cueca em cima da roupa.

  • Daniel

    A mulher-maravilha, que vivia de calcinha por aí, tomou vergonha na cara e decidiu vestir uma calça.
    Se o superman ostenta sua cueca vermelha por cima da calça, o Clark Kent devia sair pelas ruas com a samba-canção em cima do terno.

  • Romulo

    Este post parece matéria paga da Panini…

    • Marton Santos

      Romulo, quando tivermos algum post patrocinado, será comunicado. Aliás, o lançamento da nova DC será em setembro LÁ nos EUA, aposto que a Panini não queimaria verba de divulgação pagando posts de material que só chegará aqui daqui a 1 ano e meio ou mais…

  • http://bobnerd.blogspot.com/ bob nerd

    É exatamente assim que eu penso. Creio que julgar sem ter nada em mãos é idiotice. Acho algumas propostas apresentadas muito interessantes e vou esperar para ver se vão vir boas histórias. Caso não venham eu compro outra coisa. Simples assim.

  • http://questaomarcus.blogspot.com Alucard1978

    Cara, na minha opinião como leitor de hq há décadas pode ser uma boa sim. Acho que as editoras de peso como dc e marvel tem de se reinventar a cada 5 anos. Pq os leitores avançam e chegam novos que gostam dessas coisas novas que nós antigos n gostamos. Concordo com o carinha que falou que tem de entrar gente nova, e tem mesmo. Coloco aqui exemplos como a x-factor que os heróis eram coadjuvantes e os protagonistas pessoas normais. A idéia do creative commons (revolucionário p mim) tb é ótima. Acho que cada leitor tem sua visão e se eles tivessem acesso a elas acho que as hq melhorariam muito. Mas até ai as empresas tem que lucrar, seja na banca ou na net.

  • Pingback: Links legais por aí « Voando na Web()

  • Diogo

    Estou colocando minha super coleção de HQs DC Comics anos 90 para vender..
    Em estado de novas, embaladas em plástico individualmente. De colecionador para colecionador.
    Interessados, entre em contato: pingflood [at] ymail [dot] com

  • Renan

    Finalmente alguém que pensa e a analisa a situação de uma maneira diferente ao invés de criticar, odiar e se desespera antes mesmo de ler as novas histórias.

  • Frajola

    A cueca por cima da calça continua sendo usada. Só mudou de cor.

  • rogério

    eu não entendo a ‘implicÂncia’ com a sunga do super-homem. muitos outros personagens usam isso aí, e ninguém fala nada. Além disso, o super-homem continua com a sunga, só que azul. Resultado: um traje inexpressivo. Viram só por que a sunga vermelha resiste há 7 décadas?

  • http://.. Marcio

    Já tem as datas de publicação ??

  • Andryus

    Considerações …

    Cheiro de merda no ar.

    É logico que tudo que atualmente aconteça no universo das empresas de HQ é puramente comercial.
    O reboot da DC é uma tentativa pura e exclusiva de vender …

    1 – a cueca entrou por problemas judiciais… que se a dc perder o super da maneira que foi conceituado será de outra pessoa

    2 – Numero um nos EUA nao é bem aceito… O que importa é sagas nao numeros. Fazer um reboot nao é novidade tb pra dc lembra de crise nas infinitas terras ou zero hora ???? entao

    3 Ninguem coleciona hds… e sim HQ na estante… existe sim uma perda no mercado pois os fãs sao exigentes muitas historias NAO TEM QUALIDADE. Roteristas são fracos com desenhos muitas vezes espetaculares … mais isso enche… Lembra da IMAGE ??? entao desenho bom poucos MUITO poucos roteiros bons.

    4 … nao é inovação… ¬¬ fala isso pro Parallax ou o antimonitor ou 52 … sabe … grandes sagas sao boas pra atrair publico .. é mais uma grande saga como universo Millenium (Ultimate)

    5 Po legar renovar mas achar que isso é extraordinario.. pera la. Exemplo … A era do apocalipse ela foi um universo paralelo que mostrou uma nova visao de muitos personagens … Reboot nunca é extraordinario é atualização dos velhos moldes. Muitas vezes sem sal nenhum

  • http://santanadoaraguaia88.blogspot.com/ topogigo

    eu acho que não deveriam mecher( mais uma vez) na imagem dos heróis, nem criar novos, já existem muitos, oque deveria ser feito era criar novos mundos paralelos, dimensões diferentes e coisa e tal. Voltar ao passado, usar novos artifícios, tem muita coisa ainda para contar sobre superman e batman por exemplo.

  • andre lima

    prezado amigo,

    não vai dar certo. sabe porque? por causa do dinheiro. da busca eterna pelo lucro. no dia em que as vendas não forem as esperadas, eles mudam tudo de novo e de novoe de novo infinitamente. como já vem sendo feito desde que os quadrinhos industriais norte-americano existe.
    o ideal seria que os herois pudessem morrer definitivamente e outros pudessem assumir o manto do heroi morto, seria muito mais realista. se assim fosse, poderiamos está acompanhando as histórias dos tataranetos de bruce wayne e clark kent´já que eles foram inventados nos anos trinta. muito mais realista. em relação a isso, eu, como escritor, já criei uma cronologia para a DC dos anos 30 para cá. se eu pudesse ser contratado pela DC voce veria o avanço, a diferença, a melhora, que sabe, mas até lá, vamos curtindo o jim lee e o liefiel.
    só para finalizar, outra coisa boa que poderia acontecer era os herois da DC cair em dominio publico. aí sim, nós escreveriamos histórias verdadeiramente boas.
    para concluir, acho tambem que bons autores fazem boas histórias. se a DC contratasse os deuses dos quadrinhos vivos, aí sim, mas é caro e quase impossível. olha os nomes: alan moore, neil gaiman, frank miller, mark millar, brian bendis, garth ennis, ed brubaker.

    valeu

  • http://www.vidaprivada.com.br/ Jefferson

    cara.. realmente, ao menos em filme, o reboot que deram no Batman deixou o personagem bem mais ‘acreditavel’ para o tempo atual.

    da uma olhada no nosso trabalho: http://www.vidaprivada.com.br/

    otimo post.

  • alberto

    Super homem com cara de super boy
    batman sorrindo
    mulher maravilha de calsa e peito caido
    Acho que nao preciso escrever mais….
    (cyborg sempre foi e sempre vai ser Bucha)

  • Lauren Siega

    Sou super afavor, afinal graças a dita cronoligia os quadrinhos estavam cada vez mais desinteressantes e talvez com esse novo recomeço as coisas sejam melhor explicadas e tenham melhor conexão entre si, o que convenhamos fica cada vez mais absurdo dependendo da versão. Enfim, eu digo que ME GUSTA. 😀

  • http://twitter.com/man_riques Lucas

    Sempre fui daqueles cara que só compram encadernados. Nāo sou um leitor hardcore de hq’s, mas leio bastante até, ao menos oq tem ao meu alcance.
    Sempre fiquei desistimulado para ler a DC, comprei um Batman a uns 4 meses e nāo entendi nada do contexto.
    O reboot será bom para mim, assinarei pela Panini e vou começar do zero. Finalmente entender tudo.

  • Lendaker

    Se zerar e começar de novo eu topo, chegar na banca em sebo e começar a ler uma história sempre sem entender os arcos ou ficar com uma duvida pq ocorreu em uma aventura passada, isso me desistimula a colecionar e ler os universos dc e marvel então se começar desestimula zero eu irei colecionar digitalizado… e legalmente, faço questão de comprar.

  • hiqx

    Cabe ai um pensamento critico a respeito do formato dessa arte.
    Eu não acredito mais em “entretenimento” por paginas, quem são as pessoas que compram “gibis” (comics ou qualquer outra publicação do tipo)? São as mesmas pessoas que compravam gibis na década de 80 e 90, esse publico fazia isso porque não tinham acesso a internet e video-games, depois com a introdução da tecnologia no entretenimento as magazines perderam força, do mesmo modo que a UDC deseja “modernizar” sua cultura, o mesmo deve ocorrer com a veiculação dela, se eles desejam voltar a fabricar algo, vão precisar adequar ao novo mercado, os jovens de hoje não vão pras bancas, e os nerds de ontem comprarão por suas compulsões de sempre, porém ainda apenas uma população.

    • http://parecetamarindo.blogspot.com Cássio Nandi

      Comentário ousado, mas faz muito sentido.

  • BrunoMais

    Argumentos relevantes e notévais, concorod muito!
    [ ]’s

  • http://hqfanasticos.blogspot.com Bragiola

    Prefiro não falar muito à respeito das possíveis mudanças agora, mas o fato é que elas vão ser drásticas.
    A Dc tem esse costume de zerar e começar do 0 pra vender mais, e também pra tirar um pouco do lixo que eles colocaram em algumas sagas, como personagens que não deram muito certo e lemas de vida fracos.
    Estou esperando ancioso pelo que vier, mesmo que não seja bem aceito.
    Parabéns pelo post, muito bom mesmo!