Arnold Schwarzenegger se compara a imperador romano e diz que quer atuar até os 90 anos

Depois de servir como governador da Califórnia por dois mandatos, Arnold Schwarzenegger volta ao cinema – e aos filmes de ação – com O Último Desafio, longa em que divide a cena com o brasileiro Rodrigo Santoro.

Durante entrevista para divulgação do filme, o astro falou sobre a pausa na carreira e se comparou a um conquistador romano para explicar isso:

Cincinnatus era um fazendeiro e ele se tornou o imperador de Roma. Depois ele foi plantar de novo, porque seu tempo de serviço acabou. É exatamente assim minha história. A ideia sempre foi me afastar temporariamente e dedicar sete anos da minha vida para o serviço público, e depois voltar para o que eu fazia antes”, contou ao site The Hollywood Reporter.

O ator de 65 anos também disse que sentiu confiante em seu retorno aos sets de filmagem, apesar de estar envelhecendo.

Eu me senti muito à vontade. Foi como andar de bicicleta. Este filme foi o teste perfeito para mim, porque exigiu muitos dublês, muita ação e trabalho físico. O diretor foi fanático por extrair o máximo possível de mim. Os dublês assumiam apenas quando havia o risco de morte”.

Schwarzenegger continuou, afirmando que “envelhecer não significa piorar”:

A palavra aposentadoria não aparece no meu vocabulário. Quem disse que você não pode atuar na frente das câmeras aos 80 ou 90 anos? Eu fico mais feliz quando trabalho. Depois de seis horas de sono, eu acordo e me sinto culpado por ainda estar descansando na cama”, completou.

Em O Último Desafio, seu primeiro filme como protagonista desde O Exterminador do Futuro 3 (2003), o astro interpreta o xerife de uma pequena cidade do Arizona que enfrenta um cartel das drogas ao lado de uma equipe inexperiente. O longa-metragem chega ao Brasil nesta sexta-feira (18).

Leia tudo sobre Arnold Schwarzenegger

Compartilhe
Comente