Enigmas de Londres: Espíritos do Tâmisa /// Quando magia, fantasmas e deuses viram caso de polícia

14 de January de 2013 / autor: / em: Pechincha do Dia 0

enigamaslondresmini1 Enigmas de Londres: Espíritos do Tâmisa /// Quando magia, fantasmas e deuses viram caso de políciaEnigmas de Londres: Espíritos do Tâmisa é o primeiro livro de uma série escrita pelo inglês Ben Aaronovitch, conhecido anteriormente pelos roteiros da série Doctor Who. A capa do livro, editado aqui no Brasil pela Fantasy Casa da Palavra, traz uma declaração interessante da autora Diana Gabaldon, que compara a série com uma “versão crescida de Harry Potter que se juntou ao CSI“. Embora todo o ambiente sobrenatural escondido sob uma Londres contemporânea possa lembrar as aventuras do jovem bruxo, particularmente, acredito que o romance de Aaronovitch se aproxima muito mais da narrativa de Neil Gaiman em livros como Os Filhos de Anansi e Deuses Americanos. Um jovem adulto sem predisposição para heroísmo que acaba se envolvendo em uma trama sobrenatural que vai lhe revelar verdades ocultas da maior parte da população.

O personagem principal de Espíritos do Tâmisa, Peter Grant, é um policial londrino em início de carreira que teme ser nomeado para alguma função burocrática dentro da força. Em uma jogada do destino ele acaba presenciando a aparição de um fantasma em uma cena de crime e, graças a isso, passa a ser orientado pelo misterioso Inspetor Thomas Nightingale, que gerencia sozinho uma espécie de divisão sobrenatural dentro da polícia metropolitana de Londres. Nightingale passa a ensinar a Peter as artes ocultas e as técnicas de investigação de um crime sobrenatural. A grande semelhança com Gaiman parte da maneira com que os deuses ou espíritos da natureza são representados, com formas mundanas e que podem transitar entre nós livremente, quase como seres elementais que trabalham e compram leite na padaria, como eu e você. A interação dos humanos normais com essas criaturas ancestrais é o grande charme da narrativa de Aaronovitch, abrindo grandes possibilidades para livros futuros e adicionando elementos extras ao que seria uma história policial com pegada sobrenatural.

Peter Grant é um personagem bastante interessante, apesar do autor pecar um pouco em suas descrições. Passamos boa parte da primeira metade do livro tentando imaginar como seria o personagem principal criado pelo autor e, quando a descrição vêm, ela é pouco mais do que a cor da pele. O mesmo acontece com outros personagens importantes como o próprio Nighingale que, apesar de não ter qualquer citação sobre cor do cabelo ou dos olhos, só consegui imaginar com as feições de Ralph Fiennes. Isso até não seria um grande problema caso uma parte chave da trama não se baseasse em uma transformação facial que exige muito detalhamento, e imaginação, para ser compreendido.

Apesar de algumas falhas, Espíritos do Tâmisa é um livro leve e de fácil leitura, sem chegar a ser infantil, o que é bem difícil hoje em dia. Insinuações de sexo e bastante violência estão presentes, apesar de não serem o motor da trama. Em uma época onde todos os autores querem criar o seu próprio Harry Potter, também é louvável que a história seja fechada, apesar de deixar pontas em aberto para os próximos livros (lá fora mais dois já foram publicados). Se você procura uma leitura divertida para um final de semana chuvoso, este é o livro perfeito.

Compre aqui Enigmas de Londres: Espíritos do Tâmisa

Marton Santos
Editor do Páprica. Paga no máximo 50 pratas por uma foto do Homem-Aranha cometendo algum crime. Twitter Facebook

Deixe um comentário