Além da Escuridão: Star Trek /// Continuação consegue agradar Trekkers e não-iniciados

startrekcartazJ.J. Abrams já havia descoberto a chave do sucesso de Star Trek no primeiro filme. O mix de referências da série e filmes antigos, embalado com uma roupagem moderna e atrativa para um público novo, garantiu o sucesso da franquia e deu as provas finais de que o diretor é uma espécie de Spielberg da nova geração. Em Além da Escuridão: Star Trek, essa homenagem ao universo trekker cresce, mas sem tornar a trama complicada ou menos atrativa para os iniciantes. Os fãs antigos irão se deliciar, enquanto os novos irão se encantar pelo universo criado por Gene Hoddenberry.

A história começa com a tripulação da USS Enterprise tentando salvar uma civilização à beira da extinção. Logo de cara já dá para perceber a tônica de embate filosófico que irá permear a trama. De um lado temos o humano Kirk (Chris Pine), que não pensa duas vezes antes de tomar decisões arriscadas ou, até mesmo, imprudentes. Do outro está Spock (Zachary Quinto) e toda a sua lógica Vulcana, que não teme pela própria vida em prol da decisão mais sensata. O “coração” enfrenta o “cérebro” e essa é a base de uma grande amizade construída em Star Trek e consolidada em Além da Escuridão. Como todo bom filme não existe sem um antagonista à altura, vemos o surgimento do misterioso John Harrison, interpretado por Benedict Cumberbatch da série Sherlock, que como uma espécie de terrorista provoca o caos como ignição de seu plano de vingança.

O roteiro é inteligente ao privilegiar o elenco que tem a disposição e, principalmente, os personagens icônicos e suas características. Embora com menos destaque do que no filme anterior, Sulu (John Cho), Chekov (Anton Yelchin) e “Magro” McCoy (Karl Urban) tem seus momentos, embora o destaque entre o elenco coadjuvante seja Uhura (Zoe Saldana) em um relacionamento conturbado com Spock e, claro, Scotty, que rouba boa parte das cenas das quais participa graças a seu intérprete, o hilário e carismático Simon Pegg. A dinâmica entre os dois protagonistas continua sendo o ponto alto do filme e abre a possibilidade para que a parceria seja duradoura assim como foi a original, entre William Shatner e Leonard Nimoy.

startrekmiolo

Quanto a J.J. Abrams, talvez seu maior mérito em Star Trek foi respeitar, mas não cultuar a série. Em recente entrevista ele disse que essa será sua postura com o novo Star Wars, que também será dirigido por ele. Esse respeito sem obsessão já proporcionou um dos “remakes” mais sensatos dos últimos tempos, onde a justificativa encontrada possibilita que todo o material original permaneça válido e intocado, enquanto se mantém a expectativa e a tensão, já que, nesse novo universo, tudo pode acontecer. O diretor consegue mais uma vez pontuar muito bem o clima utópico de Star Trek e misturá-lo com a porção de ação e aventura que faltava para que o grande público se interessasse pelas aventuras da Enterprise.

Também é necessário dar os parabéns a equipe de divulgação do filme, que conseguiu dosar as informações presentes em trailers, clipes e comerciais de TV. Mesmo o mais prevenido dos fãs não se sentira frustrado ao assistir o filme, já que a construção das reviravoltas da trama são muito bem conduzidas.

É claro que o filme tem sua parcela de problemas, que incluem algumas resoluções apressadas e personagens dispensáveis, presentes apenas para satisfazer o fetichismo dos fãs mais hardcore. Mas Além da Escuridão: Star Trek é, com certeza, o melhor blockbuster de 2013 até agora e deixa a audiência ansiosa pela terceira parte da saga, com a preparação de uma guerra intergaláctica que promete ser épica. Agora é torcer para que J.J. Abrams consiga se desdobrar e continuar a frente das duas franquias mais cultuadas da ficção.

Compartilhe
Comente
  • Taise

    Muito bom o filme, atingindo altos picos de bromance. Achei que ia ser um pouco mais obscuro, mas ainda assim vale os R$ 30 do IMAX no Wallig.

  • http://www.facebook.com/alidsoncaires Alidson Caires

    Mesmo caso do Lourenço, nunca tinha visto nada de Star Trek, mas pirei quando vi o primeiro filme… já assisti varias vezes… Axo muito foda o jeito do Kirk.
    Quanto ao Benedict Cumberbatch, cara Sherlock Holmes com ele ficou muito massa, uma versão atual muito bem feita

  • Pingback: Além da Escuridão: Star Trek /// Continuação consegue agradar Trekkers e não-iniciados | TedGamerZ()

  • Ernani Rocha

    Fantástico ! Marton, sou quase um quarentão e fui muito ao cinema assistir star trek e essa repaginada que foi dada a saga foi e esta sendo perfeita . Esse e o anterior são filmes memoráveis e a construção dessa nova dinâmica ao meu ver foi genial e como você mesmo disse, nada do que já foi feito será esquecido e isso abre um leque gigantesco de opções.

  • Lourenço

    Realmente não era um fã de Star Trek antes dos novos filmes e me agradaram muito, e para mim um grande destaque do filme é o Benedict Cumberbatch, ela faz, para mim, a melhor interpretação de Sherlock Holmes na série da BBC e está muito bem no filme, espero ver mais coisas com ele.