destaque_01

O Pop, o Cult, o Estranho e o Trash 003 /// Dia de Treinamento, Filhos da Esperança, Dogville e Seres Rastejantes

WE ARE BACK!!! Depois de uma semana de folga (pfff, quem dera) a coluna “O Pop, o Cult, o Estranho e o Trash” está de volta e agora sai nas quintas-feiras. Para essa semana, nós temos 4 filmes de peso, com ótimas atuações, diretores dando aula de cinema e uma homenagem linda ao trash, o primo pobre do terror.

 

O Pop – Dia de Treinamento (2001)

(Training Day)

Ação | Policial – Nota: 8.0

dia de treinamento

Diretor: Antoine Fuqua – Também conhecido por Invasão a Casa Branca (2013)

Elenco:  Denzel Washington, Ethan Hawke.

Sinopse:

Em seu primeiro dia na divisão de narcóticos da polícia de Los Angeles, o novato Jake Hoyte (Ethan Hawke) será colocado à prova por seu novo parceiro/tutor, Det. Alonzo Harris (Denzel Washington), um policial veterano e corrupto.

Que tal?

Eu não considero Dia de Treinamento o melhor trabalho da carreira de Denzel Washington (ainda prefiro ele em The Hurricane – 1999). Mas, não tem como negar que esse é o personagem mais LEGAL já vivido por ele. O filme explora muito bem o “mojo” do ator, fazendo com que o espectador fiquei hipnotizado com o comportamento ambíguo e com a lábia do Det. Alonzo Harris. O policial, já “anestesiado” por seus anos de serviço, aprendeu a tratar a rotina violenta das ruas de Los Angeles com naturalidade. Aquele é o seu habitat e, na perspectiva distorcida de Alonzo, ele está no topo da cadeia alimentar. Fo***-se as gangues, a lei ou todo o resto…“King Kong ain’t got shit on me!!! ”. Denzel Washington acabou levando (merecidamente) o Oscar de melhor ator por esse filme.

O ex-policial de Los Angeles, Rafael Perez, famoso por ter sido um grande FDP, foi a principal inspiração para a construção do personagem. Antes de perder seu distintivo, Rafael se envolveu em uma série de crimes, foi acusado de fazer parte da gangue Bloods (famosa em Los Angeles) e de ter assassinado o rapper The Notorious B.I.G.

Mesmo se passando em apenas 24 horas, Dia de Treinamento consegue construir muito bem seus personagens. O papel do novato Jake Hoyte (até o nome parece bobalhão) caiu como uma luva para a cara de perdido de Ethan Hawke, que foi indicado ao oscar de melhor ator coadjuvante por esse filme. Além de um bom roteiro e bons personagens, o filme tem ótimas cenas de ação, um dos jogos de cartas mais tensos que eu ja vi no cinema e um excelente exemplo prático de como carma funciona.

 

O Cult – Filhos da Esperança (2006)

(Children of men)

Drama | Ficção Científica  – Nota: 9.0

filhos da esperança copy

Diretor: Alfonso Cuarón – Também conhecido por Gravidade (2013)

Elenco: Julianne Moore, Clive Owen, Chiwetel Ejiofor, Michael Caine

Sinopse:

Em 2027, após mais de 18 anos de infertilidade da raça humana, o mundo se perdeu no caos e na ausência de esperança. Em uma Inglaterra com traços fascistas, um ex-ativista político terá que ajudar uma jovem, que carrega um segredo especial, a chegar a um santuário escondido.

Que tal?

Filhos da Esperança foi livremente adaptado do romance homônimo de P.D. James. Por livremente, eu quero dizer que Alfonso Cuarón teve culhões de limpar toda a parte chata do livro, melhorar personagens e construir um excelente filme. Sim…nesse caso, o filme é melhor que o livro!

O maior mérito do longa está na construção de um futuro apocalíptico muito crível e próximo do mundo que vivemos hoje. Detalhes de ambientação e fragmentos de conversas, fazem com que Alfonso deixe a nossa imaginação fazer o trabalho sujo e destruir cidades inteiras por ele. Confie em mim…em algum momento do filme você vai se perguntar… “mas o que diabos aconteceu com Nova York?” Não importa! O que interessa é focar na maior tragédia de todas: a incapacidade da raça humana de se reproduzir. Um mundo sem crianças é um mundo sem futuro, sem esperança. Essa ausência de esperança está em cada pequeno detalhe do filme. Desde o som que você ouve quando surge o título na tela, até propagandas espalhadas por uma Londres que lembra o Gueto de Varsóvia durante a Segunda Guerra Mundial. Por ser um dos poucos países a se manterem “de pé”, a Inglaterra fechou as portas para os imigrantes e tranformou todos em ilegais. Todos eles são perseguidos e jogados em campos de concentração montados em cidades isoladas.

O Roteiro de Filhos da Esperança poderia ter caído diversas vezes em clichês que repetiriam 90% dos blockbusters de Hollywood. O filme acaba sendo um exemplo clássico de uma obra que trocou boa parte de sua bilheteria por sua genialidade artística. O personagem de Theo (Clive Owen), nosso herói por ocasião, em momento algum vira um super-herói, ou um grande guerrilheiro. Ele é um cara comum e seu super poder é a importância da missão que caiu em seu colo.

Se não bastasse tudo isso, Alfonso Cuarón ainda faz show-off na direção e transforma o filme em uma obra de arte. Com economia de cortes e planos sequências capazes de explodir qualquer cabeça, o filme consegue criar momentos tensos e muito realistas. Até mesmo o velho clichê do carro que não quer pegar no momento da fuga ganha outro significado nesse filme.

 

O Estranho – Dogville (2003)

(Dogville)

Drama  – Nota: 8.8

Dogville

Diretor: Lars Von Trier – Também conhecido por Anticristo (2009) e Ninfomaníaca Vol. 1 e 2 (2013)

Elenco: Nicole Kidman, Paul Bettany, Patricia Clarkson

Sinopse:

No período da Grande Depressão Americana, Grace (Nicole Kidman), uma fugitiva da máfia, busca refúgio em uma pequena cidade chamada Dogville. Após duas semanas de teste, os habitantes da cidade decidem acolher a forasteira. Em troca, ela concorda em trabalhar para eles. Conforme a procura e, consequentemente, o risco para os habitantes de Dogville se intensificam, Grace conhecerá a verdadeira face da cidade e descobrirá que sua bondade tem um preço.

Que tal?

O filme é dividido em 10 partes. 1 prólogo e 9 capítulos. Completamente filmado dentro de um galpão na Suécia e com um cenário extremamente econômico, Dogville parece uma peça de teatro. As casas e as divisões da cidade não passam de desenhos e marcações no chão. O fundo do cenário, onde veríamos as montanhas que isolam a cidade do resto do mundo, é completamente preto durante a noite e branco durante o dia. Acho que já deu pra entender o que esse filme está fazendo na categoria “estranho”, certo?

É nesse cenário minimalista que o polêmico Las Von Trier consegue fazer um dos melhores trabalhos de sua carreira. O ótimo texto e a atuação incrível do elenco, faz com que você esqueça a peculiaridade do cenário em certo ponto.

Mesmo sem apresentar violência gráfica, Dogville consegue ser um filme muito violento. A mudança no comportamento dos habitantes da cidade atinge os limites da exploração humana. A falta de opção, ou até mesmo a omissão das pessoas de “bem”, criam um desconformo muito grande e testam o espectador, fazendo com que a gente participe do dilema moral de Grace.

A ausência de paredes no cenário trabalham a favor do desconforto no filme e mostram que a omissão pode ser tão pesada quanto o ato de violência em si. Enquanto coisas terríveis acontecem dentro das residências de Dogiville, do nosso ponto de vista, tudo acontece na frente de uma cidade inteira. O conceito “dentro das 4 paredes” cai por terra para o espectador e mostra que a ignorância coletiva é mais eficiente do que qualquer parede.

 

O Trash – Seres Rastejantes (2006)

(Slither)

Trash – Nota: 7.0

Seres rastejantes

Diretor: James Gunn – Também conhecido por Guardiões da Galaxia (2014)

Elenco: Nathan Fillion, Elizabeth Banks, Michael Rooker

Sinopse:

Uma pequena cidade é invadida por uma praga de vermes alienígenas que transformam seus habitantes em zumbis e outras criaturas mutantes.

Que tal?

O trash de Seres Rastejantes não é consequência de um orçamento pobre. Aqui, o trash é uma opção de estilo. O filme presta uma bela homenagem aos filmes de terror dos anos 80/90 onde seres gosmentos, vindos do espaço, tomavam conta do corpo e mente do “good folk” de uma pequena cidade qualquer dos Estados Unidos. O filme é divertido, engraçado e nojento. Como não amar o trash certo?

Até a semana que vem!

Compartilhe
Comente
  • misterjeny

    um verdadeiro combo de ótimos filmes,só trocaria o “seres rastejantes” por outro by James Gunn: SUPER,com ellen page.

  • Rafaela Koester

    Nossa! Já tinha ouvido falar de Filhos da esperança antes e achei a história muito lega, mas não sabia o nome, com a recomendação positiva vou tentar assistir esse e os outros (tirando o trash) Valeu Papricast :)

  • Ana Carolina de Alexandria

    Filhos da Esperança é um filme tão bonito, com uma temática forte, pesada, mas interessante. Me lembro que, quando assisti, fiquei impressionada como a história ia sendo bem conduzida sem ficar piegas. Dessa lista, ainda não vi Dogville e, só por ser estranho, já me interessou, quero ver. 😀

  • Kevin Souza

    Dia de treinamento ta no meu top 5 de filmes favoritos! E recebi muitas indicações de Dogville, vou ver esse final de semana ainda!

  • Rose

    Os 2 primeiros filmes eu assisti e recomendo mesmo, mas esses 2 de baixo não quero nem ver o trailer. Até outra publicação e sem palavrão ein? Olha a Tia Rose de olhos (melhor: ouvidos) em vocês!

  • Adrian Rigoli

    Muito boas indicações. James Gunn extrapolou em Seres Rastejantes, um trash muito bom, extremamente engraçado.
    Vamos movimentar isso aqui!

  • Marcio

    A indicação ao Ethan Hawke deve ter sido por ele não ter estragado o filme!
    Filhos da esperança está entre os top 10 dos filmes de ficção!!! Os demais não tive coragem de assistir…

  • Edivaldo F. Alves

    Esse Léo, hein? Trabalhando até essa hora da madrugada! Quer saber? Acho q vc merece até dois ovos e um bife no seu prato de comida dessa semana de trabalho! Parabéns!

  • https://www.facebook.com/facult Felipi Vidal Fraga

    Primeiro \o/

    Ótima lista, muito boas estas indicações. Primeira vez que eu já assisti todos os filmes da lista.