destaque_01

O Pop, o Cult, o Estranho e o Trash 001 /// Caça aos Gângsteres, Vício Frenético, O Congresso Futurista e Fome Animal

SURPRESA!! Mais uma coluna! Agora, todas as segundas-feiras nós vamos escolher um filme Pop, um filme Cult, um filme Estranho e um filme Trash para indicar, ou simplesmente comentar sobre eles com vocês. Ok, eu confesso…essa coluna serve como desculpa para continuarmos vendo filmes como loucos. Trata-se de uma forma saudável de transformar um vício em conteúdo. Isso parece errado né? Bom, antes que piore, vamos ao que interessa:

O Pop

Caça aos Gângsteres (2013)

(Gangster Squad)

Ação | Policial – Nota: 7.0

Diretor: Ruben Fleischer – Também conhecido por Zumbilândia (2009)

Elenco: Sean Penn, Ryan Gosling, Josh Brolin, Emma Stone.

Sinopse:

Na Los Angeles de 1949, uma tropa de elite da polícia, liderada pelo Sargento John O’Mara (Josh Brolin), é forçada a deixar os distintivos de lado para combater Mickey Cohen (Sean Penn), o líder da máfia local. Baseado em “fatos reais”.

 

Que tal? 

Quando se fala em um filme de gangsters no qual Sean Penn vai ser o líder da máfia, a expectativa automaticamente sobe aos níveis de Bons Companheiros (1990), Cassino (1995) e Os Intocáveis (1987). Esse foi o maior problema de Caça aos Gângsteres: a “expectativa errada”. O filme se afasta de dramas policiais de máfia para ser um bom filme de ação. O roteiro é previsível e ainda no começo da história você já consegue adivinhar quais personagens vão morrer pela causa, ou até mesmo como será o confronto final entre o “bem” e o “mal”. Mesmo com tudo isso, o filme ainda consegue ser divertido. Oferece boas sequências de ação e um Josh Brolin porradeiro, mostrando que ele também seria um bom Batman para os novos filmes da DC (lembrando que o ator foi cotado para o papel na época do casting).

 

O Cult

Vício Frenético (1992)

(Bad Lieutenant)

Drama | Policial  – Nota: 8.0

Diretor: Abel Ferrara – Também conhecido (ou não) por Os Invasores de Corpos (1993)

Elenco: Harvey Keitel, Paul Calderon

 

Sinopse:

Um tenente corrupto da polícia de Nova York investiga o estupro de uma jovem freira enquanto o seu vício em jogos, drogas e prostitutas afundam a sua vida.

 

Que tal? 

Existe o políticamente correto e, no extremo oposto, existe “O Tenente”. Sem dúvida, um dos melhores trabalhos da carreira de Harvey Keitel.  O exagero em sua atuação acompanha perfeitamente a situação de mer** na qual seu personagem vive.

Em momento algum sabemos o nome do Tenente, ou sequer, como seus vícios começaram. Tudo que sabemos é que estamos diante de uma história sobre a decadência, onde a única esperança de redenção para o Tenente reside na investigação do estupro de uma jovem freira. Um dos grandes méritos do roteiro de Vício Frenético é não buscar justificativas para o comportamento destrutivo do personagem de Harvey Keitel. Isso permite que o filme fuja do velho clichê de contar a história do policial bacana, que foi para o dark side por causa da violência das ruas de Nova York.

Embora o filme se passe no início dos anos 90, a Nova York de Vício Frenético lembra muito a Nova York de Taxi Driver (1976), filme que também contava com Harvey Keitel no elenco. Fica difícil não pensar no quão doente seria uma conversa entre Travis Bickle, o taxista interpretado por Robert DeNiro, e o Bad Lieutenant de Keitel.

 

O Estranho

O Congresso Futurista (2013)

(The Congress)

Drama | Ficção Científica  – Nota: 7.5

Diretor: Ari Folman – Também conhecido por Waltz with Bashir (2008)

Elenco: Robin Wright, Harvey Keitel, Jon Hamm, Kodi Smit-McPhee, Paul Giamatti.

 

Sinopse:

Robin Wright é uma atriz que já viu dias melhores. Com a carreira em declínio, ela aceita vender a sua identidade para um grande estúdio, que pretende digitalizar sua imagem e personalidade para utilizá-las como bem entender, sem precisar mais da atriz.

 

Que tal? 

Essa é a sua chance de ver um filme diferente. O Congresso Futurista mistura live-action com animações de altíssima qualidade e longe do racional. O filme fala sobre a perda de identidade e a transformação de celebridades em objetos que, além de se tornarem produtos da mídia, possuem um prazo de validade.

A proposta central do roteiro é muito boa e o uso da animação foi uma excelente estratégia para conseguir atingir o nível de loucura que Ari Folman buscava para o seu filme. Fica impossível não mergulhar no mesmo mundo insano no qual Robin se perdeu.

De brinde, o filme ainda consegue te perturbar com uma reflexão pessimista sobre o futuro da indústria do entretenimento e o que esperamos dela. Ser apenas o espectador está se tornando muito chato. Nós queremos a imersão!! Queremos a ilusão de que estamos participando da história junto com os nossos heróis. O que vemos no filme, é que depois de um certo nível de imersão, fica muito difícil voltar.

 

O Trash

Fome Animal (1992)

(Dead Alive)

Trash – Nota: 6.0

Diretor: Peter Jackson – Esse você lembra de onde conhece!

Elenco: Complicado! O único nome que sobrevive é Jed Brophy, o anão Nori de O Hobbit.

Sinopse:

Uma velha dominadora, mãe de um jovem bunda mole, é mordida por um rato-macaco da Sumatra. Depois disso ela fica doente, morre e volta. No processo ela mata uma porrada de gente e inicia uma epidemia zumbi em sua pequena cidade.

Que tal? 

I KICK ASS FOR THE LOOOORD!!! O TRASH para esse filme merece o Caps Lock! Estamos falando aqui do TRASH raiz! Aquele TRASH que faz você se sentir sujo, mas que ainda assim, é difícil parar de ver. Lógico que Sharknado conseguiu por seu nome no hall of fame de filmes trashs, mas estamos falando de um outro nível aqui meus amigos. São 104 minutos de sangue, gosmas e nojeiras em geral, acompanhados de sons de gosma e nojeiras em geral. O filme tem de tudo: padre ninja, zumbis lutando até o seu último intestino, um maldito rato-macaco da sumatra e até mesmo uma velha que era mais nojenta viva do que morta. O mais difícil nesse filme, é acreditar que ele foi dirigido por Peter Jackson apenas 9 anos antes de seu nome ficar conhecido pela trilogia O Senhor dos Anéis (2001). Eu começo a pensar que ele vendeu a alma para Sauron!

 

Compartilhe
Comente
  • djalma melo

    fome animal, é um clássico.

  • http://tomadaumblog.wordpress.com Matheus Moreira

    Que coluna foda! Ótimas dicas. 😀

  • Marcial Jr

    Ola Galera,

    Muito boas dicas, e o melhor é que dessa lista só vi o Caça aos Gangster, quer confesso que só gostei quando vi pela segunda vez, justamente pq ja não tinha expectativa, e ai ja gostei.

    Fiquei muito curioso pra ver o Vicio Frenetico, ja os vi passando algumas vezes não parei pra ver por não ter curiosidade, agora vou ficar de olho.

    E o Congresso Futurista tbm mexeu com minha curiosidade, vou abrir uma exceção e tentar baixar, ja que não gosto de baixar filmes.

    E o trash, sinto muito leo, sou seu fã e sei que vc adora esses filmes, mas eu não suporto. Não é medo, nojo, nada disso, so que não é um gênero que gosto. E nada contra quem gosta, DESDE QUE TODOS ESTEJAM DE ACORDO uashuashu.

    Obrigado galera pela coluna.

  • http://www.deviantart.com/diegoddr DiegoDDR

    Vicio Frenético é demais!!!
    E tem Nicolas Cage muito louco!!!! nunca achei que eu gostaria de um filme “cult” mas o Papricast me surpreende mais uma vez…
    Esse filme congresso futurista me chamou atenção quando falaram dele num news.. mas quando vi que era um drama perdi toda pilha de ver!
    Boa coluna Leo!!! Parabéns

  • Camila

    Sorte nossa que vocês abdicaram do trabalho e da vida pra nos trazer entretenimento. Valeu

  • Ana Carolina de Alexandria

    Sensacional essa coluna, meninos…e o papricast só melhora! :) Parabéns!

  • https://www.facebook.com/facult Felipi Vidal Fraga

    Ótima coluna. Parabéns pela ideia. Dicas Muito Boas.

  • Valdemir

    Fome Animal é um clássico. Quando assisti pela primeira vez não sabia se vomitava ou se sorria. Acabei fazendo os dois, vomitei com um belo sorriso no rosto. Excelente iniciativa. Deixo aqui uma dica. Vocês poderiam escolher um desses filmes para fazer uma faixa comentada, tipo o que mais chamou a atenção ou coisa parecida. Assim daria um pouco mais de regularidade para a Faixa Comentada.
    Muito obrigado.

    • Marton Santos

      O Faixa Comentada tá parado não é por falta de filmes Valdemir :/

      • Valdemir

        Claro, Marton, não foi isso que eu quis dizer, me expressei mal, desculpe. Na verdade o que eu quis dizer foi que a coluna O Pop, o Cult, o Estranho e o Trash seria uma boa desculpa para um link com o Faixa Comentada.

  • http://twitter.com/erunerdo João, o Tetranome

    Só queria saber pq o Léo não tem uma foto dele, fica esse avatar default.

    BTW, mais uma iniciativa EXCELENTE! Aguardo o #002 na segunda que vem :)

  • Tati Salomão

    Sério, como não amar vcs? Mais uma coluna foda, com indicações ótimas. Parabéns pelo hobby trabalho que vcs fazem com tanto carinho. Saco de velho rsrs

  • Izidro Correia

    Outra novidade para nos cativar mais ainda!! Imagino como está se sentido o resto da podosfera por não ser o Papricast!! Parabéns pelo trabalho! E Vício Frenético merece todas as indicações possíveis, é bom demais!

  • Adriana C. Rodrigues

    Que legal piazada, mais novidades e mantendo a qualidade em tudo que fazem. Estão nos deixando muito mal acostumados. Abraços.

  • Gustavo Borges

    Acho que não vou assistir nenhum da lista, mas gostei do esquema galera. Bom trabalho!

  • Rogério Rocha

    Kkkkkk ótima coluna, mais uma maneira de aumentar o rombo no bolso da gente com esses vícios em filmes Kkkkkk aguardando a próxima 😀

  • Waldir Krisanski Junior

    que legal!!!!valeu amigos!!!!! =)